A ESPERANÇA DIVINA

Então Deus perdeu a paciência e resolveu acabar com o Brasil. Apareceu ao presidente Lula na rampa do Palácio numa sexta-feira às seis horas da tarde e mostrando a sua ira fez o anúncio:

- Estou cansado dessa roubalheira e de vossas mentiras, por isso decidi fazer cair sobre este país todos os raios e trovões para punir os vossos pecados.

O presidente, antigo sindicalista metalúrgico, lembrando as árduas negociações na mesa da Fiesp, tentou persuadir o Criador a desistir da decisão:

- Companheiro Senhor, esta é uma terra abençoada, o senhor sabe disso. Pense nas pessoas boas que vivem aqui, no esforço que estamos fazendo para fazer deste país uma grande nação.

O Senhor, em sua magnanimidade, pediu uma prova:

- Aponte-me dez políticos honestos e eu retirarei o meu plano.

O presidente saltou assustado e voltou a negociar:

-  Senhor, o senhor não precisava ser tão duro assim. Dez políticos honestos eu não tenho no momento para  lhe mostrar, mas...

E o senhor condescendente:

- Indique-me cinco então, que pouparei o seu país.

O presidente cofiando as barbas:

- Sabe o que é, Senhor? Eu não consigo contar cinco porque eu só tenho quatro dedos nesta mão...

- Ótimo, aponte-me quatro, retrucou o Senhor.

- Eu tô pensando, mas minha memória não tá muito boa hoje...

- Meu filho, terei de fazer hoje algo que imaginei jamais fazer depois do dilúvio.

- Não toque no nome desse traidor...

- Filho, eu disse dilúvio...

- Mas já que o Senhor tocou no assunto, me diga uma coisa: Foi o senhor mesmo que criou o Delúbio?  E o Joaquim Silvério dos Reis? E o Judas Iscariotes?

- Sim, todos eles são criação minha.

- Mas com que propósito, Senhor?

- Desde o princípio do mundo descartei de imediato a ideia d e criar robozinhos teleguiados, como vocês andam fazendo em hoje em dia. Eu crio as pessoas e dou a elas o livre arbítrio.  Algumas me pedem ajuda, então eu as auxilio na escolha do caminho, mas a maioria de vocês toma decisão sem me consultar, o que que eu posso fazer? Mas não tente me enrolar, estu esperando os nomes. Diga-me três que será suficiente.

- Deixa eu ver: Tem o... não, não, ele também recebeu mensalão. Mas tem o... ih, melhor naõ, está sendo investigado pela Polícia Federal.  O.... não, tá na lista do Valério.  Mas eu vou lembrar, só um minutinho...

- E dois? Você consegue dois?

- Poxa vida, se eu não conseguir dois... Tem o ... Espera aí, eu vou lembrar o nome deles.

- Não se esforce em vão, meu filho. Indique-me um, unzinho só e eu mudarei de ideia.

- Moleza, Senhor! Tem eu aqui. O Senhor sabe que nunca na história desta República existiu um político mais honesto do que eu. Nem pecado eu tenho.

- Basta! Assim já é demais! Não posso tolerar mais vossas blasfêmias. Vou ordenar aos meu anjos que toquem as trombetas e ao fim do terceiro toque uma tempestade de raios e trovões cairá sobre vocês para limpar esta terra.

- Senhor, Deus, Companheiro, eu prometo pro Senhor...

- Não prometa aos Céus o que não possa cumprir na Terra!  

Então o Senhor levantando a mão direita ordenou ao primeiro anjo que tocasse a trombeta. E assim fez também com o segundo anjo. E quando ia levantar a mão para ordenar o toque do terceiro anjo, o Criador avistou na calçada uma mulher grávida e reanimou-se:

- Em toda a minha vida eu vivo esperando boas ações dos homens. Eu vivo de esperança. E essa mulher grávida devolveu-me a esperança que eu tinha perdido. Quem sabe daquele ventre não nascerá, enfim, um varão honesto que haverá de fazer justiça e varrer toda a corrupção deste país?  Não me custa nada esperar mais alguns anos, uma geração a mais. Por ela e em nome dessa esperança vou poupar este povo.

 ***

Dias depois era sancionada no país uma lei que obrigava toda mulher grávida a abortar.

Angelo Humberto Anccilotto (Ago/2005)